domingo, 8 de agosto de 2010

Material sobre "Espaços Confinados"


Olá pessoal!
Separei pra vocês um material sobre "espaços confinados".. Para baixar -> clique aqui <-

De volta!!


Olá pessoal!! Após aproximadamente 8 meses sem postagens, estamos novamente aqui, para dar continuidade ao trabalho que começamos em 2009.. Ao longo desse tempo, conseguimos um grande acervo de documentos (apostilas, slides, modelos de pcmat, ppra, ltcat, etc.. ), que iremos disponibilizar, conforme a ocasião. Esperamos também a colaboração de todos, a divulgação do blog como mais um veículo de troca de informações entre os profissionais, estudantes e demais prevencionistas.



Contatos pelo e-mail: rodri9o_dsc@hotmail.com


quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

EPIDEMIOLOGIA


A epidemiologia é uma disciplina básica da saúde pública voltada para a compreensão do processo saúde-doença no âmbito de populações, aspecto que a diferencia da clínica, que tem por objetivo o estudo desse mesmo processo, mas em termos individuais.Como ciência, a epidemiologia fundamenta-se no raciocínio causal; já como disciplina da saúde pública, preocupa-se com o desenvolvimento de estratégias para as ações voltadas para a proteção e promoção da saúde da comunidade.




CLIQUE AQUI para baixar apresentação do power point sobre os conceitos de Epidemiologia.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

A importância dos Primeiros Socorros


A grande maioria dos acidentes poderia ser evitada, porém, quando eles ocorrem, alguns conhecimentos simples podem diminuir o sofrimento, evitar complicações futuras e até mesmo salvar vidas.
O fundamental é saber que, em situações de emergência, deve se manter a calma e ter em mente que a prestação de primeiros socorros não exclui a importância de um médico. Além disso, certifique-se de que há condições seguras o bastante para a prestação do socorro sem riscos para você. Não se esqueça que um atendimento de emergência mal feito pode comprometer ainda mais a saúde da vítima.
O artigo 135 do Código Penal Brasileiro é bem claro: deixar de prestar socorro à vítima de acidentes ou pessoas em perigo eminente, podendo fazê-lo, é crime.
Conceitos preliminares
Deixar de prestar socorro significa não dar nenhuma assistência à vítima. A pessoa que chama por socorro especializado, por exemplo, já está prestando e providenciando socorro.
Qualquer pessoa que deixe de prestar ou providenciar socorro à vítima, podendo fazê-lo, estará cometendo o crime de omissão de socorro, mesmo que não seja a causadora do evento.
A omissão de socorro e a falta de atendimento de primeiros socorros eficiente são os principais motivos de mortes e danos irreversíveis nas vítimas de acidentes de trânsito.
Os momentos após um acidente, principalmente as duas primeiras horas são os mais importantes para se garantir a recuperação ou a sobrevivência das pessoas feridas.
Todos os seres humanos são possuidores de um forte espírito de solidariedade e é este sentimento que nos impulsiona para tentar ajudar as pessoas em dificuldades. Nestes trágicos momentos, após os acidentes, muitas vezes entre a vida e a morte, as vítimas são totalmente dependentes do auxílio de terceiros.
Acontece que somente o espírito de solidariedade não basta. Para que possamos prestar um socorro de emergência correto e eficiente, precisamos dominar as técnicas de primeiros socorros.
Algumas pessoas pensam que na hora de emergência não terão coragem ou habilidade suficiente, mas isso não deve ser motivo para deixar de aprender as técnicas, porque nunca sabemos quando teremos que utilizá-las.
Socorrista: É como chamamos o profissional em atendimento de emergência. Portanto, uma pessoa que possui apenas o curso básico de Primeiros Socorros não deve ser chamado de Socorrista e sim de atendente de emergência.
Devemos, sempre que possível, preferir o atendimento destes socorristas e paramédicos, que contam com a formação e equipamentos especiais.
Atendimento Especializado: Na maioria das cidades e rodovias importantes é possível acionar o atendimento especializado, que chega ao local do acidente de trânsito em poucos minutos.
O que são primeiros socorros?
Como o próprio nome sugere, são os procedimentos de emergência que devem ser aplicados à uma pessoa em perigo de vida, visando manter os sinais vitais e evitando o agravamento, até que ela receba assistência definitiva.
Quando devemos prestar socorro?
Sempre que a vítima não esteja em condições de cuidar de si própria.
Quais são as primeiras atitudes?
Geralmente os acidentes são formados de vários fatores e é comum quem os presencia, ou quem chega ao acidente logo que este aconteceu, deparar com cenas de sofrimento, nervosismo, pânico, pessoas inconscientes e outras situações que exigem providências imediatas.
Quando não estivermos sozinhos, devemos pedir e aceitar a colaboração de outras pessoas, sempre se deixando liderar pela pessoa que apresentar maior conhecimento e experiência.
Se essa pessoa de maior experiência e conhecimento for você, solicite a ajuda das demais pessoas, com calma e firmeza, demonstrando a cada uma o que deve ser feito, de forma rápida e precisa.
Apesar da gravidade da situação devemos agir com calma, evitando o pânico.
Transmita confiança, tranqüilidade, alívio e segurança aos acidentados que estiverem conscientes, informando que o auxílio já está a caminho.
Aja rapidamente, porém dentro dos seus limites.
Use os conhecimentos básicos de primeiros socorros.
Às vezes, é preciso saber improvisar.

Fonte: http://www.webciencia.com/23_menu.htm



É muito importante ter conhecimentos básicos sobre primeiros socorros, pois estas medidas quando executadas corretamente, podem ser a diferença entre a vida e a morte do acidentado.

Logo abaixo temos um vídeo muito bem humorado sobre a falta deste conhecimento.



video



Clique aqui para baixar o “MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS”, formulado pela Fundação Oswaldo Cruz.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA


A CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), estabelecida pela NR-5, é uma comissão composta por representantes do empregador e dos empregados, e tem como missão a preservação da saúde e integridade física dos trabalhadores e de todos aqueles que interagem com a empresa.

OBJETIVOS:
O objetivo básico da CIPA é fazer com que empregadores e empregados trabalhem conjuntamente na tarefa de prevenir acidentes e melhorar a qualidade do ambiente de trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador.


Fonte: http://www.cipa.uem.br/O_que_e_CIPA.php


CLIQUE AQUI PARA BAIXAR A APOSTILA "CURSO PARA COMPONENTES DA CIPA" .


História da SEGURANÇA DO TRABALHO..
























A informação mais antiga sobre a preocupação com a segurança do trabalho está registrada num documento egípcio. O papiro Anastacius V fala da preservação da saúde e da vida do trabalhador e descreve as condições de trabalho de um pedreiro. Também no Egito, no ano 2360 a.C., uma insurreição geral dos trabalhadores, deflagrada nas minas de cobre, evidenciou ao faraó a necessidade de melhorar as condições de vida dos escravos.



video

Fonte: http://www.temseguranca.com/search/label/Hist%C3%B3ria%20da%20Seguran%C3%A7a

SEGURANÇA NO TRABALHO EM ESPAÇOS CONFINADOS





OBJETIVO GERAL
Estabelecer normas de segurança a fim de minimizar e, se possível, eliminar riscos, prevenindo acidentes de trabalho em áreas confinadas, preservando assim a saúde do trabalhador.

O QUE É ESPAÇO CONFINADO?

De acordo com a NR-33, espaço confinado é qualquer área ou ambiente não projetado para ocupação humana contínua, que possua meios limitados de entrada e saída,
cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio.

O TRABALHADOR DEVE RECEBER TREINAMENTO?

SIM. É DEVER DO EMPREGADOR IMPLANTAR PROGRAMAS DE CAPACITAÇÃO PARA OS TRABALHADORES ENVOLVIDOS DIRETO OU INDIRETAMENTE COM OS ESPAÇOS CONFINADOS. ALÉM DISSO, OS TRABALHADORES DEVEM SER SUBMETIDOS A EXAMES MÉDICOS ESPECÍFICOS PARA A FUNÇÃO QUE IRÁ DESEMPENHAR.

IMPORTANTE!
Só será permitida a entrada do trabalhador no espaço confinado se o mesmo tiver a Permissão para Entrada e Trabalho ( PET),emitida pelo Supervisor de Entrada. Esta permissão só será válida para cada entrada. Deve existir sinalização (placa
de advertência) com informação clara e permanente proibindo a entrada de pessoas não autorizadas no interior do ESPAÇO CONFINADO.


PRINCIPAIS RESPONSABILIDADES DO EMPREGADOR:

* Identificar os espaços confinados existentes no estabelecimento;
* Garantir ambiente com condições adequadas de trabalho;
* Garantir capacitação continuada aos trabalhadores;
* Designar responsável técnico para o cumprimento desta norma;
* Garantir que o acesso ao espaço confinado só ocorra após a emissão da PET; * Vedar todo e qualquer tipo de acesso e permanência de trabalhador no espaço confinado quando houver suspeita de condição de risco grave e eminente;

PRINCIPAIS RESPONSABILIDADES DO TRABALHADOR:
* Colaborar para o cumprimento das normas de segurança;
* Utilizar corretamente os EPI´s fornecidos pela Empresa, conforme NR-6;
* Quando houver situações de risco, comunicar ao Vigia ou Supervisor de Entrada;
* Cumprir procedimentos recebidos nos treinamentos em relação aos espaços confinados;


CABE AO SUPERVISOR DE ENTRADA

1. EMITIR A PET;
2. EXECUTAR TESTES,CONFERIR OS EQUIPAMENTOS E DEMAIS PROCEDIMENTOS;
3. ASSEGURAR QUE OS SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA E SALVAMENTO ESTEJAM DISPONÍVEIS;
4. ENCERRAR A PET AO TÉRMINO DO TRABALHO;
5. PODE DESEMPENHAR A FUNÇÃO DE VIGIA.

CABE AO VIGIA

1. MANTER A CONTAGEM PRECISA DO NÚMERO DE TRABALHADORES NO ESPAÇO CONFINADO E ASSEGURAR QUE TODOS SAIAM AO TÉRMINO DA ATIVIDADE;
2. PERMANECER NO LADO DE FORA JUNTO A ENTRADA DO ESPAÇO CONFINADO MONITORANDO OS TRABALHADORES;
3. ADOTAR PROCEDIMENTOS DE EMERGÊNCIA, ACIONANDO A EQUIPE DE SALVAMENTO QUANDO FOR NECESSÁRIO;



MEDIDAS TÉCNICAS DE PREVENÇÃO

a) Identificar, isolar e sinalizar os espaços confinados para evitar a entrada de pessoas não autorizadas;
b) Conhecer os riscos nos espaços confinados e implementar medidas de eliminação ou controle sobre o mesmo;
c) Verificar se o interior do espaço confinado é seguro;
d) Monitorar continuadamente a atmosfera nas áreas onde os trabalhadores estiverem;
e) Testar os equipamentos utilizados e verificar se são adequados aos riscos dos espaços confinados;

Fonte: Norma Regulamentadora NR-33.